Creche da minha alegria; parte 2

Click to this video!

Oi pessoal, como falei no primeiro conto, não queria naquele dia brinca com Juliana, pois queria algo mais especial. Então, comecei a preparar melhor o quartinho onde guardava meus instrumentos de trabalhos e mais algumas coisas em desuso da creche. Com umas estantes e folhas de compeçado, dividir o quartinho ao meio, coloquei o birô por trás das estantes.
Fiquei aguardando uma boa oportunidades, não que elas deixaram de ir no intervalo brincar comigo, mas só rolava sentar no coloco e mão boba entre as perninhas. Essa brincadeira ficou melhor, conseguir uma cadeira dessas que giram, ficou mais atrativo e melhor para brincar.
Os dias foram se passando e o grande momento chegou. Nesse dia estava cinco meninas brincando comigo no quartinho. Quando de repente, começou a cair um toró muito forte.Minha colega ligou e perguntou se as meninas estavam comigo, falei que sim. Ela disse, que não deixasse as meninas tomar chuva. Falei que ia colocar os colchonetes pra elas dormir, pois era hora de descanso. Minha colega, concordou, e pediu que, quando a chuva passasse, mandasse elas, pois os outros já estavam dormindo. Vibrei, sabia que ia ter tempo suficiente com Juliana. Peguei os colchonetes. Elas já foram se deitando, sabiam que era hora do descanso, puxei a cadeira e chamei Juliana pra sentar em meu colo, pois só faltava ela senta na brincadeira de antes, falei que Ju, ia dormi em meu colo. Ju, sentou de frente pra min, e deitou sobre meu peito, já encachei sobre meu cacete, fiquei só fazendo carinhos em seus cabelos, nas suas coxinhas, entrava com a mão por baixo do vestido, apalpava sua bundinha, coloquei a mão pra dentro da calcinha e fui acariciando do rego ate alcança a xerequinha por trás, sua respiração já estava alterada, seu coração acelerado, me enchia te tesão, quando ela olhava para cima, e dava um sorriso tímido e me apertava, aqueles olhos azuis brilhavam. Notei que as meninas dormiram, sem me levantar, fui rolando a cadeira para a outra parte do quarto, parei na lateral do birô, pois ia deitá-lá nele, já tinha colocado o colchonete, me levantei e coloquei jú deitada nele, fique dentro de suas perninhas, debruçado sobre ela, ficamos se olhando, ela sorriu, então falei que a gente ia brinca de uma maneira mais diferente do que nós já havia brincado antes, você quer brinca assim ? ela sorriu e confirmou com a cabeça. Não resistir, e dei um selinho nela.
Vou tirar sua calcinha e subir um pouco mais seu vestido, não se preocupe, não vou te machucar, só vou fazer carinhos em você ju, se não gosta peça pra eu para viu, mas uma vez ela sorriu. Ju ficou naquela posição de franguinho assado.
Me afastei mais um pouco e subir o vestidinho a cima da cintura, antes de tirar a calcinha, enchi de beijos aquela barriguinha de criança, desci mais um pouquinho e beijei e mordi de leve aquela xerequinha que ainda não tinha sido revelada.Como ju estava deitada com o corpo no birô, as perninhas ficavam dobrados na ponta dele e eu estava em pé,quase dentro das pernas dela. Quando tirei sua calcinha, de cima vir uma bucetinha linda, branquinha por fora e rosinha por dentro, me sentei na cadeira que estava atrás de mim, parecia médico ginecologista, comecei pelas laterais,passava a língua em cada lado, mordia suave, abrir mais as perninhas, vir um buraquinho bem piquininho, enfiei a língua de baixo pra cima, sugava aquele clitóris, Ela gemia, baixinho, a respiração muito ofegante, Dobrei mais as perninhas e comecei passar a língua também eu seu cursinho, era quando ela ia mais ao delírio,fiquei assim por um tempo, ela já estava toda meladinha. Peguei um lubrificante que estava na gaveta do birô, soltei minhas calças, quando ia lubrificar meu cacete, vir que ju estava olhando por entre as pernas, então sair da frete dela e fui para o lado, peguei sua mãozinha e coloquei em meu pau, ela só segurou, não sabia o que fazer, mas o olhar era de curiosidade. Ela continuava deitada e eu em pé ao seu lado, bem pertinho do rosto dela, segurei sua mãozinha, e comecei o movimento de punheta, fiz umas quatros vezes e pedir pra ela continuar, meio sem jeito ela fez os movimentos, aquilo estava me levando a loucura, pedir pra parar, virei o rostinho dela em direção ao meu pau, abri a boca, falei, ela abriu, peguei meu pau e fui levando pra quela boquinha, coloquei só a cabeça, falei,chupa como se fosse um pirulito ju, ela começo a chupar, a medida que ela ia se acostumando eu ia empurrando mais um pouquinho cheguei ate a metade, ela se engasgou, tirei e voltei para trás dela, peguei as duas perninhas dela com uma mão e juntei, levantei, passei lubrificante no meu pau, e fui colocando entre as coxinhas, depois que encachou encostei suas perninhas em meu ombro, mais mantendo fechadinhas, fui socando e olhando pra ela, ela respirava fundo, acelerei para goza, mas eu queria jogar todo meu gozo dentro daquela bucetinha, quando comecei gozar, abrir bem suas perninhas e tampei aquele buraquinho com meu pau e jorrei dentro dela o melhor gozo da minha vida, jorrou tanto que escorria. Me debrucei por cima dela, fiz carinhos em seu rosto e dei outro selinho. Falei obrigado Ju. Você me fez muito feliz. Ela sorriu e me abraçou.
Fomos ao banheiro pra se limpar e depois chamamos as meninas.