Transando com a Fernanda e Iniciando as Crianças

Click to this video!
Autor

Minhas lembranças (XXIV) Eu sou a Flávia e essa é a continuação, do conto anterior. A Fernanda conseguiu um emprego de auxiliar de contabilidade na empresa do amigo do papai. E as crianças; conseguimos transferência de escola, para uma com aulas em tempo integral, assim a Fernanda fica com o dia todo para dedicar ao novo trabalho, agora com o salario que ela recebe mais a pensão do INSS que recebe pela morte do marido, ela pode levar uma vida modesta mais digna, pagando suas despesas e sem precisar da ajuda de outras pessoas, mais nossa amizade veio pra ficar.
Pelo menos uma vez por semana depois do trabalho, no fim da tarde eu passo na sua casa para conversarmos, e também pra saber se esta tudo bem com ela e com as crianças.
Era uma sexta feira, depois do trabalho minha mãe me deixou na casa da Fernanda, ela me recebeu alegre, nos abraçamos e nos beijamos na boca, delicia sentir a língua da Fernanda explorar toda a minha boca, as crianças vieram correndo me abraçar me chamando de tia Flávia, uma sensação indescritível de ver essa família novamente feliz.
As crianças ainda não tinham tomado banho, e pediram para que eu desse banho nelas, e enquanto eu dava banho nas crianças, a Fernanda preparava algo pra gente comer.
Ficamos os três peladinho e fomos pro banheiro, primeiro dei banho na Mariana, comecei lavando seus pés lavei todo o seu corpinho, sua cabeça, depois com calminha lavei sua bucetinha, passei os dedos dentro dos lábios da sua vagina, massageei o seu grelinho e com a outra mão eu acariciava seu cuzinho, coloquei meu dedo na boca e molhei com saliva e coloquei na entrada do seu cuzinho, olhei pra Mariana ela estava até com os olhinhos fechados curtindo a brincadeira, um dedo na bocetinha e outro no cuzinho, empurrei um pouco e soquei o dedo todo no seu cu virgem, ela respirava fundo, e estava com as perninhas tremendo, que sensação gostosa iniciando uma novinha, terminei o banho da Mariana e comecei com o Fábio, que já estava até impaciente querendo o banhinho também, ele já tinha se esfregado o copinho todo, pra mim só ficou a bundinha e o pau, lavei seu saquinho suas virilhas, passei a mão no seu rego dei uma atenção especial pro seu cuzinho, depois lavei seu pau, arregacei a pele do prepúcio pra ficar com a cabeça pra fora, ele estava com o pinto durinho, lavei aquele sebo que forma em baixo da pele, lavei bem, como eu estava agachada seu pau quase ficava na altura da minha boca, nem preciso falar que cai de boca no seu pau, a Mariana vendo eu chupar o pintinho do seu irmão, fiquei com minha boceta molhada de tesão, e com o dedo explorava as preguinhas do seu cuzinho, tirei o pauzinho da minha boca coloquei meu dedo, molhei bem com saliva, meti meu dedo no seu cuzinho virgem, que delicia e continuei com seu pau na minha boca, eu chupava ele todinho, colocava ele todo dentro até encostar meus lábios no seu saquinho, fiquei um tempo brincado assim, chupava seu pau e com o dedo fodia seu cuzinho virgem, aproveitei que a Fernanda estava na cozinha pra iniciar os seu filhos. Terminamos o banho nos enxugamos e fomos pro quarto nos vestir, nas crianças vesti os pijamas e eu só coloquei a calcinha e a camiseta, e nesse momento a Fernanda nos chamou pra jantar, jantamos e colocamos as crianças na cama pra dormir, e eu e a Fernanda fomos tomar banho juntas e de porta aberta, uma deu banho na outra, nos beijamos em baixo do chuveiro, eu estava com vontade de fazer xixi, eu disse pra Fernanda vou fazer xixi em baixo do chuveiro, ela me disse: tenho o maior tesão de ver fazer xixi, faz aqui na minha mão e colocou as mãos em forma de concha e eu fiz xixi nas suas mãos, aí ela jogou meu xixi nos meus peitos, e começou a me lamber com o gostinho salgado do meu xixi, que delicia ficamos com mais tesão ainda, rsssss. depois terminamos o banho nos enxugamos e fomos nuas pro quarto onde as crianças já estavam dormindo (isso é fingindo que estavam dormindo) . Eu disse pra Fernanda: você esta um tesão, quero te chupar todinha, quero sentir o gosto da sua boceta e do seu gozo na minha boca, minha putinha safada.
Assim foi feito, não deu mais pra segurar e como é gostoso esperar chegar ao limite e fazer com aquela vontade… Começamos a nos beijar de maneira lenta, onde passava a minha língua pelos lábios quentes dela, antes que as nossas línguas se tocassem com aquele gostinho de quero mais. O meu tesão só aumentava, mas eu sentia que por parte dela era reciproco, mas aquilo estava me enlouquecendo. Então, comecei a acariciar os braços dela, passando a unha bem devagar e ali fiquei durante um tempo, pois cada centímetro que eu tocava me deixava com mais vontade. Sem tirar a mão do corpo da Fernanda, passei entre os seios e comecei a acariciar sua barriga, enquanto deixava às vezes um dedinho encostar-se a seus seios, embora ele seja mãe de duas crianças e já amentou, ela tem os peitinhos deliciosos.
Aí então comecei a acariciar os mamilos dela, que logo ficaram durinhos, ela tem os peitios deliciosos, nem grande nem pequenos, e aí substitui minha mão pela minha boca, comecei a mamar como uma bezerrinha, sugava seus bicos como querendo seu leite, ela deu uma suspirada gostosa que me lembro muito bem. Assim minha mão continuava a percorrer a barriga da Fernanda e eu só pensava em sentir o gosto daquela boceta e imaginar como ela estaria depois de dias sem ter relação, sem ter um orgasmo gostoso, … daí, minha mão passou por seus quadris e comecei a passar a unha nas suas coxas, na parte de dentro, de fora e senti que ela ficou totalmente arrepiada. Que delícia àquela sensação e resolvi deixá-la ainda com mais vontade com mais tesão. Tirei as mãos dali e substitui pela minha língua. Eu passava pela parte interna da coxa e chegava até a virilha, enquanto sentia a respiração dela ficar ofegante e daí passava para o outro lado, passando a língua na virilha, na parte superior daquela xaninha, até que não aguentei e passei só a pontinha da língua… Ai, aquele grelo estava inchado naquela boceta lisinha e toda molhada pedindo pra eu chupar como nunca havia sido chupada antes… eu não aguentava mais esperar, já estava quase gozando só em estar com a língua ali e sentir toda aquela vontade. Comecei a passar toda a língua em cada milímetro daquela delicia totalmente molhada… sugava aquele grelo e cada vez que eu sugava, mais a Fernanda se contorcia de tesão, embora eu tivesse certeza que ela estava tentando se controlar por conta das crianças que estavam na cama ao lado, ela se segurava para não gemer alto, fazer muito barulho. Ver que ela não estava mais aguentando se controlar, me enlouquecia.
Continuei chupando sua boceta, mas agora com um dedo atolado no seu cu, fazendo um vai e vem bem gostoso ainda chupando até que como uma explosão, ela teve um orgasmo delicioso com direito a inundar minha boca com seus sucos deliciosos, sorvi tudo não desperdicei nem uma gota.
Minha vontade não acabava nunca, chupei sua boceta como ninguém a tinha chupado com tanta vontade e aí então resolvi beijar mais um pouco a coxa da Fernanda, em volta daquela boceta deliciosa e fazendo carinho menos maldoso, como se fosse apenas esperando que toda aquela tremedeira passasse e uma forma de mostrar todo aquele carinho que estava sentindo. De repente, me vi trocando os lábios que beijavam aquela área, pela língua novamente, deslizando devagar até chegar novamente naquela delicia meladinha e recomeçar o trabalho. Dessa vez, não demorou quase nada até que Fernanda apertasse meus braços pedindo mais e apertasse com as coxas a minha cabeça enlouquecendo de tesão até que a fiz gozar novamente e dessa vez muito mais intensamente, ela gemeu, deu grunhidos, acho que até esqueceu que poderia acordar as crianças.
Depois fizemos um delicioso 69, que delicia sentir a língua da Fernanda explorar a minha boceta, ela mamava no meu grelo duro, e sugava todos os meus sucos e eu fazia o mesmo na boceta dela, ela falava, soca essa sua língua, me fode com a língua, que delicia. Aí eu disse: Tenho uma surpresinha pra você, levantei peguei um vibrador que eu tinha na minha bolsa, voltei pra posição de 69 soquei o brinquedinho na sua boceta estava tão molhada que entrou tudo de uma só vez, e minha boca sugando seu grelo, ela gritava, dizia que era a minha putinha, que estava adorando ser fodida e que ia gozar na minha boca novamente, ela nem prestava mais atenção que as crianças estavam nos observando, e eu sabendo que as crianças finjam que estavam dormindo fiquei com mais tesão ainda, a Fernanda começou a dar gritinhos, gemidos e gozou gostoso, parecia que estava mijando de tanto liquido que saiu da sua vagina, e eu como boa putinha sorvi até a última gotinha. Eu também gozei gostoso na sua boca, inundando com meus sucos e ela como eu sorveu tudo, bebeu todo o meu gozo.
Depois desse gozo ficamos esgotadas, não tínhamos força nem pra ir ao banheiro.
Então ficamos abraçadas o resto da noite, dormimos de conchinha, acordamos no outro dia com as crianças brincando e nos chamando e querendo o café da manhã, delicia acordar as duas agarradinhas, e com as crianças nos vendo aí peladinhas. Delicias como essa se repete periodicamente, quase toda semana.
Espero que gostem do meu conto, pois só de falar eu fico molhadinha e minha boceta fica latejando.
Comentem que para mim é muito importante, prometo a responder a todos assim que possível.
Beijos da Flávia.
Meu E-mail: [email protected]