Virei puta do meu tio e ainda engravidei dele! Parte 3

Click to this video!
Autor

<<<< LEIA OS CONTOS ANTERIORES
– Viu?? Não te falei? Meti vara! Tá toda arreganhada aqui na minha cama! Te falei mano, aquela siririca nervosa era falta de rola, falta de macho! Agora tem macho em casa! … Não mano, os pais dela chegam mais tarde! Vou arrumar uma desculpa e levar ela aí! Se prepara, tu vai sentir o que é xota apertada!
Ele desligou o telefonou, colocou a mão na cintura e ficou me olhando. Ele estava pelado com o pau ainda duro apontando pra mim. Eu estava na cama. Ainda estava tendo espasmos dos orgasmos. Não conseguia me levantar, minhas pernas estavam bambas, molinhas. Sentia minha buceta aberta ainda saindo a porra do meu tio de dentro. Ele havia despejado muita porra dentro de mim.
De repente ele se aproximou, deitou em cima de mim e encaixou de novo sua rola dentro da minha buceta e falou:
– ainda são 10 da manhã, seus pais chegam só as 19. Isso significa que eu vou passar mais NOVE horas dentro de vc.
E começou de novo a meter aquele caralho dentro de mim. Ele bombava. Cada vez mais fundo. Eu podia sentir seu saco batendo na portinha da minha buceta. Ele parecia um animal, me beijava, enfiava sua língua bem fundo na minha boquinha. Eu só conseguia gemer. Ele tentou me colocar de quatro, mas minhas pernas não tinham forças mais. Então ele me deixou de bruços e penetrou bem fundo na minha buceta. Ele beijava meu pescoço, minha nuca. Ele era um animal faminto por xota. De repente senti ele dar um chupão no meu pescoço, doeu muito, mas eu não conseguia falar nada, somente gemer e me contorcer. Eu estava possuída por aquele macho. Ele começou a tirar e meter seu caralho. E ficava nessa. Tirava tudo e metia. Tirava tudo e metia. Quando numa dessas, sinto ele penetrando meu cuzinho.
Foi a maior dor que senti na vida. Eu estava tão entregue a ele que nunca imaginei que entre uma metida e outra ele iria foder meu cuzinho, mas foi o que ele fez. Entrou com tudo, sem pena. Eu gritei, chorei, tentei tirar. Mas ele me segurou pela cintura, deixou todo caralho dentro do meu cuzinho e ficava me encarando com um sorriso malicioso no rosto. Eu me debatia, tentava sair, mas ele era muito mais forte e maior do que eu. Eu não podia fazer nada. Só sentir a dor e meu cuzinho sendo dilatado.
Ele ficou por um tempão parado com o pau dentro do meu cu. Até eu parar de gritar, chorar e me mexer. Quando parei pude sentir meu cuzinho pulsando. Eu já sabia que não tinha escolha, era fazer o que ele queria. Ele esperou todo esse tempo e falou:
– Pra eu ser seu macho de verdade eu preciso do seu cú. Eu tenho que fodê-lo também. E tem outra coisa, como que eu vou levar você pra brincar com meus amigos sem foder seu cú. Heim sua Puta!?
Ele foi tirando devagar, quando estava saindo enfiou tudo de novo. E foi assim, começou bombar, a meter, a arregaçar meu cuzinho. Eu estava dominada por ele. Já não sentia mais dor. A única certeza que eu tinha é que eu pertencia à ele. Ele parecia um animal novamente, me envolvia em seu corpo e mandava rola dentro do meu cuzinho.
– Ah sua putinha vou gozar!
Foi o que ele fez, senti cinco jatos fortes dentro. Ele inundou meu cuzinho com sua porra farta. Minha bucetinha tava ensopada novamente, eu senti tesao com o esporro dele. Ele continuou em cima de mim, tomando folego novamente.
Depois de um bom tempo, ele resolveu tirar seu caralho de dentro do meu cuzinho. Quando saiu, pude sentir sua porra saindo de mim. Mas não parava de sair, era muita, muita mesmo.
Eu estava de olhos fechados de bruço em cima da cama, com minha bucetinha inchada e meu cuzinho totalmente aberto.
– Caralho Kelly, tá toda arregaçada. Puta que pariu seu cú tá sangrando. Calmae!
Eu não conseguia me mexer, estava literalmente fodida.
Para a minha surpresa, ouço os cliques de câmera. O safado tava tirando foto do meu cuzinho e da minha bucetinha. Ele tirava e dava risada.

Continua>>>